23 de março de 2012

CONFRONTO


Nei Duclós

Ficamos no canto, presos no confronto
ouviram barulhos, brutos, e gemidos
sugerindo manchas roxas no vestido
e rostos afogueados de morangos

Puxava tua renda até os joelhos
rasgavas minha pele com garrotes
eu mordia tuas chuvas absurdas
choravas disfarçando teu galope

Entreviam a porção da tempestade
que ventava contra ti pela parede
o corpo exausto de terror e toque

Chamaram a polícia, vieram os bombeiros
te tiraram de mim batendo o choque
mas rias, louca, em sintonia, a trote


RETORNO – Imagem desta edição: Lana Turner.

2 comentários:

  1. Nada que eu fale pode descrever esse poema...Sem palavras...

    ResponderExcluir