25 de janeiro de 2010

GENOCIDAS TOCAM HAARP: UMA DENÚNCIA DE 2001


Em 2001 foi publicado este artigo no veículo The Cutting Edge, que reproduzo a seguir. Recebi por e-mail em 2004 (eu guardo tudo) e não dei bola. Achei exagero, na época nem cheguei a ler todo. Agora que os genocidas estão a toda, matando centenas de milhares de pessoas provocando furacões, tornados e terremotos, será tarde demais? Agora que eles provaram que podem, depois que todos silenciaram quando deveriam ter denunciado, agora que perdemos tempo achando que tudo não passava de teoria da conspiração, talvez seja mesmo tarde. O forte do texto a seguir é o tom didático: fica tudo esclarecido.

UMA VISÃO TENEBROSA DO CONTROLE DO CLIMA

Autor: David Bay
Tradução: Jeremias R D P dos Santos
Data da publicação: 28/11/2001


A idéia que está por trás do Controle do Clima é simples, quando você pensa de forma simples. Quando presencia um forte temporal, com muitos relâmpagos e trovões, qual fato o deixa mais intrigado? Você não fica impressionado com a poderosa exibição de descarga de energia? A energia é o ingrediente básico que está por trás das tempestades. Portanto, você precisa acreditar que, talvez, se a energia for o fator externo dominante em todos os tipos de tempestades, então pode ser também o fator-chave para a criação delas.

Assim, quanta energia é necessária para criar e depois direcionar as tempestades? A resposta a essa pergunta depende de muitos fatores, mas vamos lhe dizer quanta capacidade foi construída na recente central de transmissão de energia criada no remoto Alasca. Essas torres de transmissão de energia não são torres típicas, pois foram projetadas para gerar energia de um modo tal que ela é irradiada na ionosfera em uma quantidade imensa.

"O projeto de trinta milhões de dólares do Pentágono, eufemisticamente chamado de HAARP (High Frequency Active Auroral Research) é feito para projetar mais de 1.7 GW (gigawatts) de energia radiada na ionosfera – a camada eletricamente carregada que está acima da atmosfera da Terra. Basicamente, o aparelho é o inverso de um radiotelescópio - apenas transmite em vez de receber. Ele 'faz ferver a parte superior da atmosfera'. Após aquecer e interferir com a ionosfera, as radiações são refletidas de volta para a Terra, formando longas ondas que penetram em nossos corpos, no solo e nos oceanos." [do livro Angels Don't Play This HAARP, pg 8, de Nick Begich]

Diz Begich: "O invento propicia a capacidade de colocar quantidades sem precedentes de energia na atmosfera da Terra em locais estratégicos e manter o nível de injeção, particularmente se o pulso aleatório for empregado, de uma maneira muito mais precisa e melhor controlada que até aqui realizada pela arte anterior..." [pg 28]

"... o objetivo é aprender como manipular a ionosfera em uma escala muito maior do que a União Soviética pôde fazer com suas instalações similares. HAARP seria o maior aquecedor ionosférico no mundo, localizado em uma latitude mais favorável para colocar a invenção de Eastlund em prática." [pg 29]. Além disso, a partir dessa latitude ao norte, a energia poderia ser direcionada à ionosfera para que fosse refletida de volta para a Terra exatamente onde os cientistas querem que ela caia. O segredo é aprender como e onde direcioná-la para atingir a Terra onde eles querem que ela caia, criando o tipo de desastre ou condição climática que desejarem.

Em resumo, esse é o núcleo do conhecimento adquirido recentemente para controlar o clima. Derramando energia medida que foi focada em certas partes da ionosfera, os cientistas podem criar todos os tipos de tempestades, como furacões, chuvas fortes, inundações, tornados e seca. No artigo N1118, "UM Treaty Proves Weather Control is Real", citamos artigos publicados na imprensa que informaram que a Malásia contratou um empresa russa de Modificação do Clima para criar um furacão que fosse direcionado bem perto para limpar a poluição atmosférica das cidades malaias sem realmente vir até a terra e causar devastação. Essa companhia russa forneceu a solução e a Malásia limpou seus ares.

Nossas fontes de informações também nos dizem que não somente furacões podem ser criados, mas podem ser desmantelados se os cientistas desejarem. E, eles certamente podem ser levados ao oceano exatamente como dirigimos nossos carros nas estradas. Portanto, precisamos perguntar por que os cientistas americanos permitem que um número sem precedentes de furacões, como o Andrew, venham ao continente? Por que os cientistas estão permitindo grandes danos e perdas de vidas nas recentes tempestades sem precedentes, se têm a capacidade de manter essas tempestades longe de nós?

O governo não tem nossos melhores interesses em vista? Mantenha essa idéia em mente ao examinarmos outros aspectos dessa tecnologia HAARP que está lançando uma enorme quantidade de energia na camada superior da atmosfera. Os pesquisadores rapidamente descobriram que essa tecnologia poderia ser usada de outras formas que não apenas para controlar o clima. Descobriram que tinham tropeçado em uma arma que poderia ser utilizada de forma muitíssimo eficiente, para destruir, destruir e destruir, sem que a vasta maioria da população mundial saiba o que está acontecendo com ela. Afinal, a maior parte das pessoas hoje ainda acredita que o controle do clima básico do planeta esteja fora do alcance da humanidade...


Essa tecnologia pode criar terremotos quando e onde forem desejados na Terra. [pg 18, 26, falam sobre o uso de HAARP para criar terremotos. Entretanto, as forças armadas americanas descobriram acidentalmente como criar terremotos usando uma tecnologia ligeiramente diferente. "Os engenheiros tentaram substituir uma seção 10x40 Km da ionosfera com um "escudo de telecomunicações" de 350.000 agulhas de cobre lançadas em órbita... quando os militares enviaram uma faixa de pequenos fios de cobre para a atmosfera para orbitar o planeta de modo a 'refletir as ondas de rádio e tornar a recepção mais clara', tivemos o terremoto de 8.5 graus no Alasca e o Chile perdeu uma boa parte da sua região costeira. Aquela faixa de fios de cobre interferiu com o campo magnético da Terra.

"Pode mar os sistemas climáticos globais, alterando os padrões do tempo, a incidência de chuvas, ou secas. [pg 19,26] Fazer a Terra sair de seu ciclo normal de rotação. [pg 21] Redirecionar as correntes de ar na atmosfera [pg 34, 39] Redirecionar o fluxo de Electrojet Stream [pg 41] Magnificar e focalizar a luz solar, um efeito chamado de skybusting [pg 35] Esse processo poderia provocar buracos nas camadas protetoras de ozônio, permitindo assim que uma luz solar intensa atravesse a atmosfera e provoque queimaduras graves nas pessoas [pg 57... Usando o bombardeio de ondas de freqüência extremamente baixas, na mesma faixa de freqüência que o cérebro humano opera, você pode mudar os pensamentos e emoções de uma pessoa. Deus nos ajude quando e se os homens ímpios aperfeiçoarem esse tipo de armamento!

HAARP pode criar explosões da mesma magnitude de uma bomba nuclear, mas sem a radiação! [pg 38, 62]. Esse processo está protegido pela patente 4.873.928... Como essa arma, seria possível atacar alvos com grandes explosões, mas sem lançar mísseis com ogivas nucleares, ou usar aviões, ou porta-aviões!! Essa descoberta poderá tornar todos as estratégias militares sobre como se defender de um ataque inimigo totalmente inúteis.

Subitamente, tenho algumas idéias luminosas! Compreendo por que os negociadores russos e norte-americanos puderam chegar a um acordo sobre a destruição de tantas ogivas e mísseis nucleares. Cada lado até mesmo permitiu que equipes de inspeção supervisionassem a destruição das ogivas e mísseis do outro. O mundo sentiu-se muito mais seguro. Entretanto, as ogivas nucleares transportadas por mísseis estão obsoletas!! Se ambos os lados podem criar explosões da mesma magnitude de uma bomba nuclear sem criar radiação, por meio das torres de transmissão de rádio do tipo HAARP, os mísseis com ogivas nucleares não serão mais necessários. Como você se defende de um ataque de magnitude nuclear que está sendo iniciado por ondas de rádio ELF silenciosas e invisíveis? Como se defende de um ataque de magnitude nuclear que está sendo iniciado por ondas de rádio ELF geradas no território inimigo, que sobem até a ionosfera e depois são refletidas para o seu território para criar a explosão?

Claramente, o mundo entrou em uma era de guerra totalmente nova, que ninguém antes concebeu nem imaginou muito bem. Além disso, esse assunto nos traz à próxima capacidade de HAARP e da tecnologia de ondas de rádio similares. Esses transmissores de rádio de ELF podem formar um escudo impenetrável contra os mísseis e aviões invasores, ou qualquer coisa que tente penetrar no espaço aéreo! Então, por que estamos tentando aperfeiçoar um míssil antimíssil que pode realmente abater outro míssil no ar? (...)

A maior preocupação do autor e cientista de Nova Era, Nick Begich, em seu livro “Angels Don't Play This HAARP”é que os cientistas e militares são muito arrogantes no uso ignorante e inconseqüente da energia que está sendo disparada na ionosfera. Os cientistas militares falam sobre "colocar essa coisa em quinta marcha e ver o que acontece"! Essa atitude é de uma total arrogância. E se eles iniciarem uma reação não intencional na atmosfera que não puder ser controlada ou paralisada?

Nenhum comentário:

Postar um comentário